HOME | ENGLISH VERSION | CHAT | FÓRUM | MOB | TOP BLOGS | WEBRING | RÁDIO | SHOP
MENU
NEWS LETTER
Receba novidades do site por e-mail!

PARCEIROS
Naruto Project
Akatsuki Animes
Anime Total
Hinata-Sou
Sekai Otaku
Poke1000
Cosplay Onegai
Hellsing EX
SilkRoad BR
Cullen´s - O lugar da família vampira da saga Crepúsculo
BUSCAPÉ
Anúncio provido pelo BuscaPé

CONTEÚDO

i Y P


Kagami no Naka no Mugenjou
(O Castelo das Ilusões Dentro do Espelho)

Nada de créditos, apresentações ou nada, o filme começa logo na ação! Um rosto é refletido no espelho: Inu-Yasha de olhos e castanhos e cabelos escuros. É a primeira noite do mês, quando a lua se esconde completamente e o hanyou Inu-Yasha vira 100% humano. Inu-Yasha reclama por ter de esperar escondido enquanto o sol não nasce. Myouga o aconselha a esperar, caso contrário Naraku saberá seu segredo. Shippou, Kagome e Myouga estão com ele dentro de uma casinha. Kagome diz que vai ajudar na luta. Inu-Yasha diz para ela não subestimá-lo. Kagome assente com a cabeça e parte com seu arco e flechas. 
Lá fora, Sango, montada em Kirara, persegue Naraku e lança seu Hiraikotsu, mas Naraku escapa. Sango diz "Papai... Kohaku... hoje é o dia da vingança! Naraku!" E então tenta acertá-lo de perto com o Hiraikotsu, mas ele escapa. Kirara o morde, mas sofre com seu shouki. Sango corta um de seus braços de youkai, mas ele foge. Sango avisa Miroku que Naraku vai para seu lado. Miroku se prepara e diz: "Essa é a maldição que você pôs na minha mão. Kazaana!" E Naraku começa a ser puxado. Por baixo da pele de babuíno, os Saimyoushou faz Miroku selar seu ataque. Naraku aproveita e com um braço de youkai aperta Miroku pelo pescoço. A parte de cima de seu corpo é a aparência daquele príncipe Kagewaki, a de baixo é de youkai. "Morra!" Naraku diz enquanto sorri, estrangulando Miroku, mas uma Hama no Ya de Kagome destrói seu braço e Miroku cai. Kagome prepara outra flecha "Naraku! Se prepare!" E logo um rombo enorme se abre no peito de Naraku. 
Sua parte humana fica inconsciente enquanto sua parte youkai absorve a parte humana, cresce de tamanho até explodir, mandando Miroku e Kagome para longe. Shippou transformado em balão escora Kagome e Sango segura Miroku montada em Kirara. Naraku volta, desta vez em sua verdadeira forma, uma aranha marrom, com olhos vermelhos e chifres, com uma aranha vermelha nas costas. Sango lança seu Hiraikotsu. Ela e o monge estão montados em Kirara. Naraku, porém, tem uma barreira ao redor de si. Shippou hesita em se aproximar, mas depois vira um pelicano e voa para Naraku. Kagome prepara uma flecha, mas Naraku avança para eles e Shippou, morrendo de medo, faz meia volta. Kagome perde a flecha. Sango diz para Kirara ir embaixo de Naraku, mas nessa hora, Miroku dá aquela passada de mão em Sango e acaba por tomar um tabefe daqueles. Nisso, Naraku se aproxima e Kagome grita. Inu-Yasha ouve Kagome e decide sair, mesmo como um humano, contra o conselho de Myouga. Nessa hora, Shippou desvia do ataque de Naraku, mas a casa onde estava Inu-Yasha é destruída. Kagome grita: "Inu-Yasha! INU-YASHA!" E nessa hora, os primeiros raios de sol anunciam o fim da primeira noite. "Desculpe tê-lo feito esperar, Naraku!" Inu-Yasha volta a ser hanyou, bem na hora... 
Agora sim, os créditos vão passando junto com a música de abertura, enquanto Inu-Yasha e os outros lutam contra Naraku. Myouga avança com Inu-Yasha e diz para ele usar a Tessaiga Vermelha para quebrar a barreira de Naraku. Inu-Yasha corre para o ataque e, com um golpe, Naraku perde sua defesa. Nessa hora, o Hiraikotsu de Sango decepa as pernas esquerdas de Naraku enquanto o Shakujou de Miroku destrói as pernas direitas, imobilizando-o. Inu-Yasha pergunta a Kagome aonde se encontram os Shikon no kakera de Naraku e ela diz que estão na aranha das costas. Inu-Yasha crava a Tessaiga no local apontado por Kagome e Naraku explode em pedaços e shouki. Inu-Yasha voa para longe. Graças ao poder regenerativo da Shikon no Tama, Naraku começa a se reconstruir e sua voz diz que vai se fundir com Inu-Yasha em seu novo corpo. Sango, Shippou e Miroku tentam salvar Inu-Yasha, mas todos são inúteis. Quando apenas a cara de Inu-Yasha pode ser vista, o mesmo diz que está com nojo de Naraku e com a Tessaiga destrói as partes que o envolviam. Inu-Yasha e Kagome ficam de frente para Naraku enquanto Sango e Miroku ficam atrás. A parte humana de Naraku volta a aparecer em meio ao corpo de youkai e provoca a todos. 
Miroku joga seu Shakujou para Sango, que une ao seu Hiraikotsu e gira o corpo para pegar impulso. O ataque atravessa Naraku, dividindo-o em dois. Naraku diz que meros humanos nunca irão derrotá-lo. Nisso, Kagome prepara sua flecha, em sincronia com o Kaze no Kizu de Inu-Yasha. Os créditos param de passar. A flecha de Kagome destrói a parte humana de Naraku, enquanto o Kaze no Kizu acaba com o resto, sem deixar vestígios. Um brilho e um poder muito forte emanam do local. Todos se seguram para não voar. Quando o brilho cessa, não há nada no lugar. Kikyou e Sesshoumaru percebem o que aconteceu (é a única aparição de Sesshoumaru neste filme e dura 2 segundos...). Kagura sente seu coração em seu peito e Kanna diz que Naraku morreu. Kohaku diz: "Aneue". Inu-Yasha e os outros não sabem se Naraku morreu. Miroku decide comprovar. Ele libera sua mão esquerda e o pouco que restava de seu Kazaana acaba de desaparecer. Shippou pergunta o que foi para Miroku e se apavora quando o mesmo lhe mostra a mão direita. Olhando melhor, Shippou percebe que o Kazaana sumiu. Logo todos percebem, com diferentes reações. Kirara volta ao normal. É o fim de Naraku. 
Na floresta, caminhando para o Monte Fuji, Kanna guia Kagura a algum lugar. Kagura pergunta o que elas vão fazer. Kanna pergunta a Kagura qual o seu maior desejo. Kagura diz que é óbvio, que ela é o vento e quer ser livre. Kanna diz que dará esta liberdade para Kagura. Kagura diz que com a morte de Naraku ela já é livre, mas mesmo assim continua a seguir Kanna. Mais tarde, Kagome, Shippou e Sango estão tomando banho (provavelmente numa fonte térmica próxima ao Monte Fuji) quando Sango pergunta o que Kagome vai fazer agora. Kagome diz que vai continuar com Inu-Yasha para procurar os fragmentos da jóia restantes. Kagome sente um aperto ao pensar que será desnecessária quando eles encontrarem todos os fragmentos. Sango diz que ainda tem de encontrar Kohaku. Kagome diz que se Sango continuar com eles, procurando por fragmentos, certamente encontrarão Kohaku. Sango agradece Kagome, também com um sentimento de aperto. Nisso, elas eram observadas por um jovenzinho de cabelos castanhos, perdido no caminho ao Monte Fuji, que as confunde com tennyos. Nisso Miroku percebe o espião e o repreende, porém por acidente Miroku acaba sendo visto por Sango e Kagome, e leva a culpa por espiar. Sango chama Miroku de pervertido. Sango pega uma pedra enorme e atinge Miroku com ela. Com a confusão, Inu-Yasha chega pronto para atacar. Kagome grita, encolhida dentro da água "Inu-Yasha, Osuwari!!". Nisso, o verdadeiro espião, causador da confusão toda foge. 
Kanna chega a uma gruta com Kagura. Kanna recita uma espécie de poema ou evocação, parte do ritual para libertar Kaguya, a grande vilã da história. Elas acham um espelho muito parecido com o de Kanna e Kagura o limpa. Kanna faz a lua refletir seu brilho no espelho da gruta, através de seu próprio espelho. A bela Kaguya aparece, dizendo que agora que Naraku foi morto, resta acabar com a vida no planeta, trazendo a escuridão eterna por suas mãos. Kagura pergunta quem ela é. Ela diz que é a Princesa dos Paraísos, Kaguya. É uma moça com rosto bonito, olhos pretos, com uma sombra esverdeada, cabelos com o mesmo tom, uma sombra azul e dois acessórios cor-de-rosa nos cabelos. Nessa hora, de um lago dentro do espelho aparece um Castelo flutuando nas águas. Kaguya diz que aquele é o "Castelo além do espelho". Kaguya diz a Kagura que a liberdade que ela busca é uma liberdade superficial e que vai dá-la a liberdade eterna. Kagura diz a Kanna que aquilo tudo parece algo que elas podem fazer para passar o tempo. Com o Monte Fuji de fundo, a imagem sai da Sengoku Jidai e vai para a era atual. 
Na escola, a professora está por coincidência, contando a lenda de Kaguya Hime, usando exatamente as mesmas palavras do poema de Kanna, ditas por um imperador, originando o nome do Monte Fuji. Kagome está dormindo durante a aula. Suas amigas a acordam quando o sinal bate. As amigas dela comentam a lição de casa, um artigo ou reportagem sobre um conto de fadas de um famoso artista que existiu realmente "Murasaki Shikibu". As amigas dela falam sobre o egoísmo de Kaguya Hime, dando ordens impossíveis aos seus pretendentes e depois largando-os. Kagome ainda está sonolenta. Kaguya havia largado até o imperador antes de voltar para a Lua para sempre. Kagome se pergunta quanto tempo mais vai ficar viajando entre eras. Suas amigas a abordam, confirmando que ela também tem alguém disposto a lhe dar tudo, nisso Houjyou da série B chega em sua bicicleta. Ele diz que ultimamente Kagome tem vindo mais freqüentemente para escola. Ele lhe dá uma caixa de uma bebida (acho que vitamina D) para sua saúde. Houjyou a convida a um parque de diversões. Kagome dá um risinho, meio sem graça da situação. Nessa hora, Souta chega com pressa, procurando sua irmã. Souta deixa escapar o nome Inu-Yasha e Kagome o impede de falar algo na frente de seus amigos. Kagome se despede e Souta lhe conta que Inu-Yasha veio vê-la. 
Souta a leva para um canil aonde os cães parecem bem agitados. Souta diz que ele esteve no templo cedo, mas depois foi embora procurar por ela. Eles discutem por um tempo, mas os cachorros ficam latindo e Kagome irritada, pela força do hábito grita "Osuwari" só que Inu-Yasha estava por perto e... Eles começam a discutir, mas pessoas se aproximam e eles entram numa cabine fotográfica dessas instantâneas. Eles discutem sobre a jóia e Inu-Yasha exige que Kagome volte e blá, blá, chamando a atenção de quem passava. Nisso, Souta aproveita e tira umas fotos. Inu-Yasha tenta usar suas Sankon Tessou, mas é impedido por mais um Osuwari. Souta recolhe as fotos... Uma da discussão, outra a tentativa de um Sankon Tessou e por fim um Osuwari para acalmar. 
De volta a Sengoku Jidai, Kagura e Kanna encontram um artefato brilhante num fio de água, uma das ordens de Kaguya, a "Jóia do Pescoço do Dragão". Kikyou, com seus youkais carregadores de alma, pressente a nova força maligna que surgiu após a morte de Naraku e decide se certificar. Kagura e Kanna lançam o artefato esférico brilhante dentro de um lago e mais um poema é recitado, desta vez por Kaguya. Kanna recita um poema e uma espécie de galho "Ramo Hourai" é jogado em outro dos cinco lagos do Monte Fuji. Restam três artefatos, o próximo é a Veste do Rato de Fogo, de Inu-Yasha... 
Kagome recorta as fotografias de Souta e faz um cordão com um pingente de coração, com cada um dos lados de dentro com uma expressão de cada um. Ela e Inu-Yasha. Ela pede que Inu-Yasha use, pois seu poder é maior até que o da Shikon no Tama, e eles ficam discutindo. Nisso, Inu-Yasha sai correndo, atraído pelo cheiro de Naraku. Inu-Yasha deixa Kagome para trás para se deparar com Kagura e Kanna. Inu-Yasha fica aliviado e pergunta se ela veio para vingar Naraku. Kagura se faz de desentendida e diz "Ah, é mesmo, um dia houve alguém com esse nome, não é? Ele não me controla mais!" Ela usa seu Fuujin no Mai. Inu-Yasha pára as lâminas com a Tessaiga. Kagura usa o Ryuuja no Mai. Inu-Yasha se esquiva. Kagome assiste à distância. Kagura usa novamente o Fuujin no Mai e suas lanças retalham a roupa de Inu-Yasha. Kagura consegue o que queria. Inu-Yasha se apóia na Tessaiga. A Lua está cheia. A voz de Kaguya pode ser ouvida da Lua, continuando aquele mesmo poema. Kanna segura o espelho daquela gruta em frente a seu espelho e Kaguya fala com Inu-Yasha. Kagome tenta intervir, mas Inu-Yasha a ordena que fique longe. Kaguya diz que pode tornar seu maior desejo realidade, o desejo de se tornar um youkai completo, dominado pelas trevas em seu coração. Inu-Yasha manda ela se calar e usa o Kaze no Kizu, mas Kagura e Kanna estão protegidas por uma barreira. Inu-Yasha decide atacar diretamente e avança. Kagura usa o Ryuuja no Mai e Inu-Yasha converte sua energia sinistra no Bakuryuuha. Kagura parece espantada, mas logo Kanna, sem mudar de expressão usa o espelho de Kaguya e um buraco negro à frente delas suga todo o Bakuryuuha. Inu-Yasha não compreende. Logo o buraco fica maior e Inu-Yasha se vê diante de seu próprio Bakuryuuha. 
Inu-Yasha percebe que será atingido, mas não tem tempo de se salvar. Kagome também percebe e grita "Osuwari". A koto-dama faz Inu-Yasha desviar e se salvar. O Bakuryuuha continua destruindo tudo. Kagura ri por Inu-Yasha ser protegido por uma garota. Kagura e Kanna vão embora naquela pena voadora da Kagura. Kagome busca por Inu-Yasha em meio à destruição, enquanto Kaguya diz que para Kagome o fluxo do tempo corre diferente de todos. Num terceiro lago, um pedaço da Veste do Rato de Fogo é lançada e Kaguya recita mais uma parte do poema. Dois itens restantes. Insígnias se formam ao redor de Kaguya, uma amarela para o primeiro item; uma verde para o segundo e uma vermelha para o terceiro. 
Monge Mushin, pai de criação de Miroku, o parabeniza por ter finalmente derrotado Naraku, em frente ao túmulo do pai de Miroku e pergunta o que o monge vai fazer agora. Miroku diz que só há uma coisa a se fazer: "Ajudar lindas garotas ao redor do mundo levando-as... levando-as para suas camas...". Logo depois se lembra da cara de Sango se estivesse ouvindo e se sente meio nervoso. Eles ficam falando bobeiras e Mushin faz uma piadinha que Miroku só tem mais três dias e acaba por tomar um coque na cabeça. Depois eles vão ao templo e Mushin dá a Miroku algo que seu avô, Myatsu-sama, havia deixado para a geração que conseguisse derrotar Naraku. A caixa é selada com um pentagrama, o mesmo símbolo de Kaguya Hime. Dentro há um lenço com algo embrulhado. 
Sango voa em Kirara, passando por vales, quando Kirara pressente algo. Enquanto isso, Kohaku corre pela floresta, fugindo de um grupo de youkais porcos que querem seu fragmento da jóia. Kohaku atinge um deles, mas toma uma flechada na perna e cai muito ferido. De repente, o Hiraikotsu destrói todos os youkais porcos e Kohaku está a salvo. Sango o segura pela mão e Kirara segue vôo com Kohaku. Nisso, Kikyou está vagando por um arrozal, quando encontra um vilarejo destruído e todos os humanos mortos. Uma garotinha, entretanto, está viva e reconhece a Miko. A garotinha diz que um demônio atacou ao vilarejo e lhe entrega algo que pertencia ao monge, a Xícara de Pedra de Buda. Kikyou diz que talvez também seja um demônio. A garotinha diz que ela não é má pessoa e depois morre. Kikyou segue viagem. 
Kagome pergunta a Inu-Yasha se eles vão partir sem Sango e Miroku. Inu-Yasha está com péssimo humor e Shippou fala demais, como sempre, e acaba por levar um golpe na cabeça. Nisso, o mesmo causador de encrencas que tinha visto Kagome e Sango tomarem banho é abordado numa ponte por bandidos. Nisso, Inu-Yasha passa direto por eles, o que os deixa furiosos. Shippou avisa que Inu-Yasha está de mau-humor, mas os bandidos avançam e logo Inu-Yasha acaba com todos. O garoto agradece e quando fica de frente para Kagome, ela percebe a semelhança com Houjyou da sua era, seu nome é Akitoki. Kagome tem certeza de ser o ancestral de Houjyou quando ele lhe dá umas frutas, dizendo que faz bem pra saúde. Ele mostra ser desastrado ao tropeçar. Sua bagagem revela um tecido muito delicado, chamado de Veste de Penas do Paraíso. Ele diz que está com pressa na sua missão. 
A lua está cheia novamente. Mushin, Hachi (o tanuki) e Miroku estão celebrando novamente. Mushin diz que tal fenômeno da lua cheia já havia ocorrido há cinqüenta anos. Miroku diz que seu avô havia lacrado um youkai que causava todas as noites lua cheia. Hachi percebe que Naraku foi derrotado e Miroku não tem mais seu Kazaana. Miroku diz que se esse mal não for detido, trará o fim a tudo e a todos e precisará da ajuda de Hachi. Hachi diz que não vai se envolver em algo tão perigoso, agora que Miroku não pode mais ameaçá-lo com o Kazaana. Miroku leva Hachi para dar um passeio e depois eles voltam ao templo e Miroku diz que Hachi concordou voluntariamente em ajudar, embora Hachi reapareça com uma dúzia de galos na cabeça e esteja tratando Miroku por "amo". 
Enquanto isso, no vilarejo dos exterminadores, Sango acaba de pôr novas flores nos túmulos de seus companheiros e cuida dos ferimentos de Kohaku. Kohaku não se lembra do vilarejo. Sango constata que mesmo após a morte de Naraku, Kohaku ainda não está livre. Kohaku só se lembra da Aneue. Sango diz a Kohaku para não se esforçar tanto, gastar quanto tempo for necessário para se lembrar. Kirara pressente o perigo e sai da cabana. Lá fora ela se transforma ao ver Kagura. Sango sai sem seu Hiraikotsu. Kagura quer uma concha, "Concha engole-qualquer coisa" que Kohaku carrega e diz poupá-los se Sango concordar. Sango vai em busca de sua arma e Kagura faz o Ryuuja no Mai. Kohaku voa com os ventos e com o Fuujin no Mai, Kagura tira dele o tal item, o quarto para libertar Kaguya Hime. Kohaku sabe o que significa aquilo e, após se recuperar diz que o selo pode ser quebrado. 
Mais uma parte daquele poema ao jogar o item em outro dos lagos do Monte Fuji é dito. O restante é a Xícara de Pedra de Buda, que está com a Kikyou. Akitoki pára para o lanche com Kagome e Inu-Yasha e após Kagome ameaçar tirar o Cup Noodles ele conta sua nobre missão: "Se a lua cheia toda noite aparecer, suba rapidamente a cratera no Monte Fuji e queime a Veste de Penas sagrada, caso contrário uma terrível maldição recairá sobre a Terra." Foi a profecia de um monge (provavelmente Myatsu-Sama, avô de Miroku). Kagome diz que esta história lembra a de Kaguya Hime. Inu-Yasha reconhece o nome e percebe que realmente pode acontecer uma grande tragédia. Nisso, Kagura encontra Kikyou e a provoca "A não-morta sacerdotisa que se sustenta com almas de pessoas mortas. Que coisa nojenta!". Kikyou, já com uma flecha preparada, pergunta se é tudo um plano de Naraku. Kagura diz que Naraku está morto. Kikyou joga o objeto que Kagura queria para ela e vai embora, também provocando Kagura. "Eu não sou igual a você". 
Um velho amigo do avô de Miroku conta a ele e a Hachi a lenda. Uma vez um viajante humano viu uma tennyo se banhar e roubou sua Veste de Penas sagrada. Esta tennyo foi possuída pelo ódio e saiu matando todos os homens do vilarejo. Por sorte Myatsu-sama a lacrou num espelho chamado de "Espelho da Vida". Este velho diz a localização do espelho a Miroku. Nisso, Kagura joga no último lago o último objeto para libertar Kaguya Hime. Kanna acaba o poema. O pentagrama lilás que prendia Kaguya ao espelho desaparece e ela sai do espelho. Kaguya aprecia o reflexo da lua cheia nas águas do lago. Kagura diz que ela prometera mostrar-lhes a verdadeira liberdade. Kaguya diz que ainda há algo que ela precisa. 
Kagome diz que é igual a história que conhece e talvez tenha sido este o motivo do ataque de Kagura. Shippou reconhece Akitoki do incidente do banho e diz que se ele quiser manter o segredo terá de ser seu servo. Kagome e Inu-Yasha estão um pouco mais distantes, passando a noite em frente a uma fogueira. Começa a tocar a música "Ai no uta" (Canção de amor), do conjunto Every Little Thing.

Kono chi ni chikara wo
(Que haja força nesta terra)
No ni hana wo
(Flores neste campo)
Kokoro ni ai wo
(E amor neste coração)

Kagome pergunta se na história da princesa Kaguya, ela realmente desejava voltar para a lua. Inu-Yasha ia falar qualquer coisa, mas Kagome o interrompe quando vê uma estrela cadente e diz para fazerem um pedido.

Nee kono mimi wo oshiatete kikoeta inochi no zawameki 
(Ouça, o murmúrio de vida que escutei quando pressionei meu ouvido contra isso)
Sou oboeteru atataka na kodou ni tsutsumareteta koto 
(Recordo-me de que estava envolto por calorosas batidas de coração)

Kagome pergunta se Inu-Yasha ainda quer se tornar um youkai completo. Ele diz que sim e ela lhe diz que ele já era muito forte. Inu-Yasha diz que ele já tinha decidido e que ela não deveria questionar isso.

Dareka no koe mo dareka no kizu mo kikoenai furi o suru
(Pessoas fingem não ouvir as vozes e as mágoas dos outros)
Sonna minikui kao ni damasarenai de
(Mas não se deixe enganar por estas faces feias)
Ima sugu ni ai ni ikite
(Por favor, agora, viva o amor)

Kagome pergunta se não seria melhor que ele permanecesse como hanyou. E que ela gostava dele do jeito que ele era. Ele esnoba e vira o rosto. Então, furiosa, ela puxa o cabelo dele, forçando-o a encará-la, falando para ele levá-la a sério. Mas quando ele o faz, ela sente uma ternura e tristeza no olhar dele que lhe tiram as palavras.

Kono yo ni umarete
(Nascido neste mundo)
Anata no me ni
(O que é refletido)
Nani o utsushite
(Em seus olhos?)

Ele próprio não havia percebido seu olhar (ou fingiu não perceber) e pergunta a Kagome o que houve. Ela fica sem saber o que dizer. Ele se irrita e quando iam começar outra discussão, flores de cerejeira começam a cair. A música pára de tocar. Uma cerejeira surge atrás deles e Kaguya recita a parte final do poema. Kaguya Hime aparece, segurando o "Espelho da Vida". Inu-Yasha saca a Tessaiga. Kaguya quer a Veste de Penas. Inu-Yasha usa o Kaze no Kizu, mas de nada adianta, Kaguya tem uma espécie de barreira ao seu redor, acionada pelo mantra budista que ela freqüentemente recita. De seu espelho luzes lilases saem e prendem Inu-Yasha a uma rocha. Kagome tenta ajudá-lo, mas é repelida. Akitoki e Shippou se esbarram, revelando a Veste de Penas do Paraíso. Kaguya Hime quer a Veste sagrada e se prepara para o ataque, mas é interrompida por uma flecha de Kagome. Kagome atira outra flecha, mas o "Espelho da Vida" a absorve, surpreendendo Kagome. 
A flecha, agora refletida, se dirige para Inu-Yasha. Aqui um dos melhores momentos do filme: Kagome se põe de costas entre a flecha e Inu-Yasha. Akitoki joga a Veste de Penas entre a flecha e Kagome. A flecha, envolta na Veste atinge as costas de Kagome. Inu-Yasha ainda preso grita por Kagome, a chama de inconseqüente. Kagome, já perdendo as forças, diz que ele faria o mesmo por ela e logo cai inconsciente. Inu-Yasha tenta se soltar, sem êxito. Inu-Yasha xinga Kaguya de muitas coisas. Kaguya diz que não vai deixar Kagome morrer tão facilmente. Kaguya volta a propor a Inu-Yasha que trabalhe para ela para se tornar youkai completo. Kaguya some levando Kagome desmaiada embora. Ela diz que se ele quiser vê-la novamente, que vá ao Castelo das Ilusões. Inu-Yasha se solta e se dá conta de que não sabe onde é o tal Castelo. Akitoki conta a ele. E eles três se vão... 
Miroku voa em Hachi para a caverna e lá encontra inesperadamente Sango e os outros. Sango o ataca pensando ser um youkai, mas logo reconhece Miroku. Miroku lhe dá um forte abraço e aquela passada de mão clássica, na frente de Kohaku, Kirara e Hachi. Ele diz ter sentido falta daquela maciez... Sango vira um tabefe. Miroku diz que também sentiu falta daquela dor. Eles seguem juntos até chegarem ao Castelo. Kaguya Hime começa seu ritual. Os elementos dentro dos lagos (Fogo, Água, Terra, Metal e Madeira) brilham para os céus e formam um pentagrama lilás, com a Lua cheia ao centro. Um grande rochedo sai da água em direção ao pentagrama de Kaguya no céu. No topo se encontra o Castelo das Ilusões. Ilusão e realidade se confundem. O chão aonde Kaguya aparece tem o mesmo pentagrama. Kaguya perde a expressão de pureza de tennyo e ganha uma cara mais sombria e de um espelho sai Kagome, ainda inconsciente, envolvida pela Veste de Penas. 
Sango e Kohaku, montados em Kirara e Miroku montado em Hachi tentam chegar ao Castelo, mas Kaguya os vê pelo Espelho e, do lago abaixo deles, bombas de fogo tentam detê-los. Primeiro Hachi depois Kirara são atingidos. Shippou escora Kirara. Inu-Yasha encontra todos. Inu-Yasha chama por Kagome e sua voz passa pelo espelho. Kagome acorda com a voz de Inu-Yasha. O poder da Veste de Penas faz a flecha e o ferimento de Kagome desaparecerem. Kaguya se impressiona com o poder da Veste. Kagome acorda gritando por Inu-Yasha. Kaguya tenta impedir Inu-Yasha, com uma enorme espécie de hidra (várias cabeças de dragão ou serpente com um só corpo) que surge do lago. Inu-Yasha enfrenta dificuldades contra as hidras cospe-fogo. Inu-Yasha descobre o corpo das cabeças da hidra é um só. Kikyou surge numa posição segura, com uma flecha, e abre as águas para o Kaze no Kizu de Inu-Yasha destruir o monstro. Kikyou diz que deixa o resto com Inu-Yasha e some tão misteriosamente quanto apareceu. Inu-Yasha dá uma sacudida de cachorro pra tirar a água do corpo. Kaguya fica espantada com a aparição de Kikyou e a derrota de seu monstro. Kagura começa a se cansar de ajudar Kaguya. 
Kagura fica desapontada com a performance do monstro de Kaguya e a provoca, dizendo que sua falsa identidade como tennyo está sendo aos poucos desmascarada. Kagome ouve e fica intrigada. Kagura diz que sabe que ela absorve outros youkais e para ter seus poderes e fez isso com uma tennyo, por isso absorveu sua eterna juventude. Nisso, Inu-Yasha destrói os portões e finalmente começa a atravessar o Castelo das Ilusões em busca de Kagome. Kagura se rebela, dizendo que não agüenta mais ser babá de Kaguya Hime. Kagura pretende absorver a alma de Kaguya com o espelho de Kanna, mas sua alma é muito grande. Kaguya é envolta pela Veste de Penas do Paraíso e ri com a tentativa inocente e frustrada de Kagura e Kanna. Ela usa o ataque Meikyoushisui no Hou, o "Feitiço da Claridade e Serenidade". O pentagrama se forma ao redor de Kaguya e logo avança na direção de Kagura e Kanna. As duas são empurradas para o fundo de um lago e não se pode saber se morreram ou sobreviveram. 
Enquanto isso, Sango e os outros usam os curativos de Kagome, trazidos por Akitoki, nos ferimentos da luta contra a hidra. Akitoki se comporta como servo de Shippou, já que caso contrário o raposinha contaria a todos sobre a confusão na fonte termal. Miroku pinta um buraco preto na sua mão direita, um falso Kazaana. Inu-Yasha finalmente encontra Kaguya, no centro do pentagrama. Ele corre para atacá-la, mas Kaguya usa um outro ataque Meikyoushisui no Hou. Dessa vez, o pentagrama de Kaguya vai se expandindo e por onde passa, o tempo pára. Houjyou e Hachi também param no tempo. Miroku, Sango, Shippou, Kirara e Kohaku, entretanto, continuam normais. Miroku percebe que aquele é o Meikyoushisui no Hou, mas não compreende o porquê deles não terem parado no tempo. Shippou faz uma ceninha de medo, mas logo percebem que os curativos de Kagome brilham. Eles percebem que não pararam por que os curativos são de outra era e por isso o ataque de Kaguya não funcionou, ao menos não instantaneamente. Para retardar o efeito, eles se enchem de bandagens e ataduras de Kagome e partem em direção ao Castelo. 
Inu-Yasha está bem machucado depois do ataque, mas está vivo e não parou no tempo, graças ao pingente de coração de Kagome. Kaguya se espanta. Kagome fica feliz por ele estar bem e se lembra que ele havia dito que o pingente não tinha utilidade... Inu-Yasha se prepara para atacar com a Tessaiga vermelha, mas de repente, Inu-Yasha reaparece fora do Castelo, sobre um lago que parou no tempo. Foi tudo uma ilusão de Kaguya. Kaguya conta a Kagome que Inu-Yasha nunca havia estado ali, aquela era a ilusão dos espelhos paralelos e aquele era o Castelo Dentro do Espelho. Shippou e os outros encontram Inu-Yasha. Inu-Yasha percebe que o verdadeiro castelo está abaixo deles, o lago é uma barreira. Inu-Yasha bate no chão com a Tessaiga vermelha e logo um portal se abre. Eles entram. Kagome pergunta o objetivo de Kaguya ao parar o tempo e Kaguya diz que breve terá seus poderes de Miko e a barreira de tempo de Kagome, do mesmo modo que absorveu a imortalidade de uma tennyo, já mostrando as presas com as quais pretendia devorar Kagome. 
Nessa hora, Inu-Yasha encontra as duas. Inu-Yasha a golpeia com a Tessaiga, mas Kaguya tira um enfeite do cabelo que se transforma em uma espécie de espada. Eles lutam. Kaguya pára a Tessaiga com a mão e a tira de Inu-Yasha. Os outros chegam e agradecem Kagome pelos curativos. Miroku tenta usar seus ofuda e Sango o Hiraikotsu, mas Kaguya começa um mantra, destruindo os ofuda e refletindo o Hiraikotsu. Sango e Kohaku são atingidos. Inu-Yasha tenta atacar com o Sankon Tessou, mas uma espécie de tentáculo vermelha de Kaguya atravessa seu estômago. Miroku se defende com o Shakujou, mas logo é atingido também. Shippou pensa em usar o Kitsune-bi, mas é só Kaguya olhar para ele que ele muda de idéia. Inu-Yasha fica parado com seu ferimento, Miroku fica caído, Sango e Kohaku desacordados e Kagome ainda está presa pelo pentagrama. Kaguya mostra o Espelho da Vida para Inu-Yasha, porém o mesmo o reflete em sua forma de youkai completo. Kaguya diz que garantirá esse desejo e logo começa outro mantra. Quando Kaguya toca o espelho, o Inu-Yasha refletido começa a pulsar e o Inu-Yasha verdadeiro fica hipnotizado pelo ritual. 
Kagome grita por Inu-Yasha. A mente de Inu-Yasha é envolta pelas ilusões de Kaguya, que o induzem a se transformar em youkai completo. Inu-Yasha começa a transformação, embora tente resistir. Kagome tenta se soltar de qualquer modo, sem êxito. Conforme Inu-Yasha vai virando youkai completo, no espelho ele vira hanyou. Shippou tenta soltar Kagome, mas é violentamente repelido pela barreira. Sango acorda, ainda fraca e Miroku percebe que dessa vez, se Inu-Yasha virar youkai completo nunca mais voltará ao normal. Miroku diz que aquele é o mundo dentro do Espelho e que lá as trevas no coração de Inu-Yasha talvez sejam mais fortes. Sango pega o Hiraikotsu para destruir o Espelho, mas ela e Kohaku são envoltos pelos cipós vermelhos de Kaguya e ficam imobilizados, assim como Kirara. Miroku tenta falar com Inu-Yasha, mas ele já está em avançado processo de transformação e usa suas garras em Miroku. 
Miroku diz a Kagome que ela é a única que pode parar a transformação de Inu-Yasha. Kaguya continua a influenciá-lo pela mente. Kagome percebe seus dois Shikon no kakera e pede a Shippou que os pegue e lance contra ela. Nessa hora, o Inu-Yasha do espelho já é o Inu-Yasha humano, indicando que a transformação está nos finalmentes. Shippou lança os fragmentos, libertando Kagome. (AQUI É O MELHOR E MAIS ESPERADO MOMENTO DO FILME.) Kagome fica na frente de Inu-Yasha e o abraça, implorando para que ele não se transforme. Inu-Yasha nem percebe Kagome. Kaguya diz que qualquer coisa que ela faça será inútil, o que ainda havia de humano em Inu-Yasha já está aprisionado no Espelho. Nessa hora Inu-Yasha acaba de se transformar em youkai e Shippou pede a Kagome que fuja. Kagome o abraça mais uma vez, se lembrando da última noite em frente à fogueira, dela dizendo que ele não precisava se transformar em youkai completo. Inu-Yasha fica confuso. Em sua mente, as imagens de Kaguya dão espaço à Kagome, correndo para ele e ele como youkai pronto para atacá-la, quando ela pára envolta por flores e diz que gosta dele como um hanyou. Nessa hora, seus olhos de youkai começam a voltar a ser os de um hanyou. Kaguya percebe e diz para ele matar Kagome e usa um mantra. Inu-Yasha aperta Kagome entre suas garras, com o intuito de feri-la. Kagome sente medo, mas precisa fazê-lo voltar ao normal e se pergunta o que ela tem de fazer. Então ela gentilmente se aproxima dele e na ponta dos pés consegue fazer com que seus lábios toquem os dele no tão esperado beijo. Chorando, ela pensa que eles devem sempre ficar juntos. Shippou se sente envergonhado de assistir aquela cena. Sango percebe os sentimentos de Kagome. Kaguya pede a Inu-Yasha o corpo da garota. Durante o beijo, Inu-Yasha volta a ser hanyou e então retribui o beijo de Kagome, abraçando-a no final. O reflexo humano de Inu-Yasha no espelho some e o Espelho da Vida se quebra, irritando Kaguya. Inu-Yasha abraça Kagome. Ela pergunta se ele está bem agora. Ele a chama de idiota (que delicado) por estar sempre fazendo coisas inconseqüentes e diz que vai ficar como hanyou por mais um tempo, por ela. Ela assente com a cabeça. 
Enquanto isso, um brilho vermelho fica caindo do nada. Miroku olha para Sango com idéias na cabeça. Sango diz para ele não se aproximar. Os galhos de Kaguya se desprendem, libertando Sango e Kohaku. Sango corre e Miroku acredita que seja para ele, mas ela vai ver Kohaku, deixando o monge no vácuo. Inu-Yasha recupera a Tessaiga. Misteriosamente, os pontos vermelhos reconstroem a parte roubada da Veste de Rato de Fogo de Inu-Yasha. Kaguya sente raiva de um meio youkai desafiá-la. Inu-Yasha usa um Kaze no Kizu que destrói o cipó vermelho, juntamente com o braço esquerdo de Kaguya. Ela se reconstitui. Nessa hora, o mais impensado acontece. Kohaku começa a reclamar de dor, ele sente seu ombro queimar. Sango vai averiguar e percebe a marca da aranha em suas costas. Miroku também sente dor e percebe a volta inesperada de seu Kazaana. Kohaku pede para Sango fugir, mas ela diz que não vai abandoná-lo. Nessa hora, um youkai começa a sair das costas de Kohaku. Numa explosão, Sango é mandada para longe e Kohaku fica inconsciente. É a volta de Naraku!!! 
Naraku cumprimenta falsamente Kaguya, que diz pensar que ele tinha morrido. Naraku diz que morreu para enganá-la e fazê-la se mostrar. Naraku pretende absorver o corpo de Kaguya e começa a envolvê-la com suas partes youkais. Miroku afasta Sango de Kohaku. Kaguya começa outro mantra e os dois têm o mesmo objetivo, um quer absorver ao outro. O Castelo começa a desabar enquanto Naraku avança para Kaguya que com o Espelho da Vida destrói Naraku. Inu-Yasha e os outros ficam afastados, entre os escombros do Castelo. Miroku percebe que se eles derrotarem Kaguya, Naraku absorverá seu corpo e ganhará a vida eterna. De um jeito ou de outro ele se sairá bem. Inu-Yasha não se importa e ataca Kaguya. Eles têm uma breve luta de espadas, porém ela usa o Espelho da Vida e faz o mesmo mantra com o qual destruiu Naraku contra Inu-Yasha. Miroku percebe e salva Inu-Yasha, puxando-o com seu Kazaana. Shippou se transforma em arco a pedido de Kagome. Kaguya tenta atacá-la, mas Kirara e Sango a salvam. Kaguya prepara um imenso poder de fogo com sua espada e seus mantras e o lança em Inu-Yasha. Inu-Yasha converte sua energia sinistra em Bakuryuuha. O Espelho da Vida absorve o ataque e reflete em várias direções. 
Kagome usa o Shakujou de Miroku como flecha e Shippou como arco. Inu-Yasha usa o Kaze no Kizu em meio ao Bakuryuuha. O Shakujou leva embora a Veste de Penas, que permitia a Kaguya sempre reconstruir seu corpo. Kaguya não tem como refletir o ataque que ia para ela. Seu corpo é destruído e some. Suas últimas palavras são "Mas ele é apenas um hanyou...". O Castelo volta a desmoronar, mas Sango salva Kagome de cair. Nessa hora, a risada de Kaguya pode ser ouvida. Ela agora é uma nuvem negra que quer Kagome como seu novo corpo. Kaguya avança para Kagome, mas Naraku acaba impedindo-a de tomar Kagome. Inu-Yasha grita para Kagome se abaixar e ataca Naraku, destruindo-o novamente. Miroku usa seu Kazaana, sugando facilmente a fumaça de Kaguya, acabando de vez com ela, como seu avô não pôde fazer. A parte intacta de Naraku é envolta por uma barreira e foge dali pelo portal aberto no Espelho da Vida em colapso. Kohaku segue Naraku, para decepção de Sango. Eles percebem que se seguirem Naraku poderão sair daquele Castelo. Todos saem bem na hora, antes do Castelo acabar de desmoronar. 
Shippou tem uma última ilusão de ter sido deixado para trás com Kaguya o seguindo, mas logo acorda e vê que estão todos com ele e eles voltaram. O Castelo no lago acaba de sumir. Hachi e Akitoki reaparecem. Akitoki diz que a Veste de Penas do Paraíso reapareceu. Miroku consola Sango por Kohaku ter seguido Naraku. Sango se sente por um segundo mais animada, quando Miroku comenta ao vento, para seu avô, que Kaguya Hime realmente era muito bonita. Sango mostra desaprovação, mas ele pega sua mão e passa no rosto dele dizendo que ela é sua única tennyo. Kagome em pensamento diz que a estrela cadente daquela noite havia garantido parte de seu desejo, porém a jornada ia continuar. Kagome fica para trás e Inu-Yasha reclama que ela estava viajando de novo. Logo Kagome e Inu-Yasha voltam a discutir. Começa a tocar a música "Yura Yura", do conjunto Every Little Thing. 
OS CRÉDITOS FINAIS VÃO PASSANDO... São cenas congeladas: começa com Akitoki Houjyou escalando o Monte Fuji para jogar a Veste Sagrada; depois ele pensando em Kagome; depois Houjyou do presente pensando em Kagome; depois ele no parque com as amigas de Kagome; a família de Kagome; Buyo (o gato de Kagome); Kirara dormindo com Myouga em sua cabeça; a velha Kaede e os desenhos de Shippou, que contam a versão de Shippou como herói que derrotou Kaguya, derrotou Naraku, enquanto Miroku e Inu-Yasha eram estorvos; depois mostra Sango, Miroku, Inu-Yasha, Kagome e Shippou em cena clássica; o espelho de Kanna refletindo a aranha símbolo de Naraku; Kanna, Kagura e Kohaku; Sesshoumaru, Jaken e Rin; Sango rezando no vilarejo dos exterminadores; Toutousai afiando o Shakujou de Miroku; Kikyou e os carregadores de alma; Kagome e Inu-Yasha sentados olhando estrelas; O reflexo de Kagome e Inu-Yasha nas águas de um lago à noite... 
A música pára de tocar. Miroku se lembra que tem de fazer uma coisa. Ele se vira para Sango e tenta beijá-la. Não dá pra saber se ele conseguiu, mas se ouve um grito de Sango, ela com a mão na boca, roxa de vergonha e ele com a marca de um tabefe na cara. Miroku diz que só estava seguindo o exemplo de Kagome. Kagome já vermelha diz que não lembra de nada. Não fez aquilo porque queria. Inu-Yasha diz que ele não tem culpa, ela fez aquilo sem perguntar nada pra ele e recebe um merecido Osuwari para se acalmar. O filme acaba mostrando o pingente de coração que Kagome deu a Inu-Yasha. 

FIM

Texto retirado do site

Anime World Brasil -Top Site-  PPN Top 50  ||.::OtakuGeneration::.||.::www.OtakuGen.pt.vu::.||  Anime Topsite  LegionOtaku TopSites  AniRank.de 

 
Melhor visualização 1027x768 no Firefox. www.inuplace.com.br - Desde 5 de Dezembro de 2002.